Blog do Mailson Ramos

WhatsApp: bloqueio não vai matar ninguém

WhatsApp: 48h sem aplicativo não vão matar ninguém

WhatsApp: 48h sem aplicativo não vão matar ninguém – Foto: Reprodução

O assunto é a grande notícia de hoje. Por determinação da justiça, em processo que correu em segredo, o WhatsApp foi bloqueado no Brasil por 48h.

Verdade seja dita: para quem está acostumado a transmitir mensagens instantâneas todos os dias pelo aplicativo WhatsApp, vai passar dois dias se condoendo entre instalações de outros apps e reclamações sobre o bloqueio determinado pela justiça.

Isso mostra, de igual modo, como somos dependentes de coisas que deveriam depender de nós. A comunicação já existia antes das mídias sociais, mas basta um acontecimento como este para se recriar a percepção de que a comunicação acabou.

É bobagem pensar assim porque as mídias sociais são apenas instrumentos para a inter-relação das redes e das pessoas que as compõem.

Comunicação existe e sempre existirá.

O que as pessoas podem sentir é falta da comodidade e facilidade de contato promovidos pelo WhatsApp. E sua ausência nas próximas 48h não matará ninguém.

Muito provavelmente aquele amigo que está a poucos metros de você e que até ontem tinha um celular na mão para lhe contatar, mesmo estando perto, poderá enfim ouvir a sua voz e trocar ideias sem a recriação da virtualidade.

O filósofo francês Pierre Levy nos fala sobre a virtualidade e a recriação de um mundo não real, mas que se caracteriza como tal nas mídias sociais.

Esta virtualidade transforma um sujeito real e concreto em perfil, ou seja, uma imagem criada e sintetizada a partir de suas concepções na internet. E isso não significa que estes dois perfis sejam similares.

A ausência do WhatsApp, neste momento, é uma oportunidade para repensar as redes de relacionamento, a ética, a necessidade e a dependência.

Deixe um Comentário!