Blog do Mailson Ramos

Temer armava o bote há muito tempo

Temer armava o bote há muito tempo

Temer armava o bote há muito tempo – Foto: Romerio Cunha/ Vice Presidência

A queda de Eliseu Padilha abriu espaço para o afastamento entre Dilma e Temer. E já não era mais segredo. A “Proposta Temer” avançava nos bastidores do Palácio do Jaburu.

Temer preparou o bote enquanto a presidenta Dilma se via ocupada diante do ajuste fiscal, das acusações da oposição. E enquanto a oposição travava conflitos diários com a situação, o PMDB entranhava na máquina pública.

Segundo jornalista do Valor, Temer já começava a preparar seu plano de governo.

É bem verdade que a presidenta Dilma não é dada a rapapés e salamaleques, mas o Temer não é flor que se cheire. Foi de um deputado do PMDB que partiu a mais vergonhosa chantagem de que se tem conta na história da República.

E Cunha esteve o tempo inteiro, segundo o próprio Temer, sob sua observação. Não vá me dizer o vice-presidente que não sabia da chantagem, do pedido de impeachment, dos maus bocados em que seu colega de partido colocaria a presidenta e o governo.

Foi ele que pediu à presidenta para não entrar em confronto direto com o achacador.

Mas também foi o Temer que apareceu em diversos eventos, posando de mandatário.

Alimentou as conversas e os boatos em torno da queda de Dilma e a sua ascensão ao poder.

Agora surge esta carta.

Que é a prova irrefutável dos planos do Temer.

E é bom que se diga: estes planos não vão adiante. O Temer não tem um mísero voto.

Deixe um Comentário!