Blog do Mailson Ramos

Eduardo Cunha: a mente insana de um chantagista

Eduardo Cunha: a mente insana de um chantagista

Eduardo Cunha: a mente insana de um chantagista – Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nos jogos de poder que sacudiram Brasília nos últimos dez meses, ninguém foi mais influente do que Eduardo Cunha, um homem que tramou a queda da presidenta da República, não sem antes chantagear o seu partido e assediar metade da Câmara dos Deputados.

Estava escrito nas estrelas, em letras garrafais, que se os deputados petistas votassem pela continuidade do processo de cassação na Comissão de Ética, Eduardo Cunha iria para a revanche.

O discurso que deu à imprensa só pode enganar aos tolos. Ao autorizar a abertura do processo de impeachment contra a presidenta, Cunha queria mesmo era se vingar dos petistas e, por desencargo de consciência, trucidar o governo.

A ele não importa que nos próximos meses o país se arraste num enfrentamento político de consequências insuperáveis; irresponsável, Eduardo Cunha coloca a uma sociedade convulsiva a necessidade de disputar – e não debater – posições ideológicas e políticas em meio a uma grave recessão.

Ele reforçou o discurso da mídia e alimentou a sanha dos golpistas com um dispositivo constitucional utilizado na hora certa, com chantagem e afronta.

No jogo de cena que se apresentou, nenhum grupo político foi mais dissimulado do que a oposição, em especial, o PSDB; eles fingiram rompimento com o Cunha, fingiram votar contra ele para dar prosseguimento ao processo de cassação e fingiram ser fingidos quando a máscara caiu. Não é de se estranhar que com tanto fingimento sejam os mais falsos paladinos da ética que esta República já viu.

No momento mais ostensivo do escândalo sobre as contas na Suíça, Cunha teve o apoio único e exclusivo do Paulinho da Força. Paulinho é aquele que estava com o Gilmar e o Cunha no café da conspiração, quando falaram, ao ar livre, sobre o impeachment da presidenta.

Leia também: Impeachment: entre Cunha e Gilmar, Paulinho

De lá para cá pouca coisa mudou. Para estabelecer os personagens políticos junto à opinião pública, a imprensa começou a mostrar que Eduardo Cunha dependeria mais do PT do que da oposição para se safar. E os oposicionistas, que sempre andaram de mãos dadas com ele, deveriam entrar em atrito.

Paladino da ética, o deputado tucano Carlos Sampaio esbravejou da tribuna da Câmara que o PSDB faria oposição acirrada ao Cunha. Palavras e nada mais. Foi justamente o pedido de impeachment de Bicudo e Reale Jr., levado por Sampaio ao Congresso, que ontem fez transbordar de felicidade a oposição.

Se existia, no entanto, alguma possibilidade de salvação para o Eduardo Cunha, ela se dissipou no enfrentamento. É bom lembrar também que a prisão do banqueiro André Esteves, na Lava Jato, lança luzes nas tenebrosas relações entre o presidente da Câmara e o BTG Pactual.

Eduardo Cunha para se safar das críticas sobre as chantagens que impôs ao PT trouxe ao público a história do tecnicismo constitucional. Disse estar isento. Não havia felicidade por ter realizado tal façanha. Correto e responsável que é, só cumpriu a sua tarefa.

Não pense ele, porém, que a militância e as estruturas sociais dos partidos de esquerda vão deixar esta história passar em brancas nuvens. Haverá contestação, debates e lutas.

Na GloboNews, aqueles colunistas que costumam traçar a derrocada dos candidatos petistas nas eleições – o que até hoje não aconteceu – se contorciam diante da possibilidade de que esta estrutura social enraizada pela esquerda brasileira se levante contra os deturpadores da democracia.

Porque o pensamento de um chantagista não pode destruir uma República democrática. O pensamento de um chantagista como Eduardo Cunha é uma sala escura sensível à luz: pobre dele no dia em que invadirem esta sala com um refletor a iluminar o seu putrefato passado.

1 Comentário

  • …. Só nos resta, nos unirmos e arrancarmos nas algemas, a força de seus cargos, de suas vidas nababesca, CONFIISCARMOS TODOS SEUS BENS, POSSES, PROPRIEDADE e leiloar suas ricas e grifsosas roupas, para, pelo menos parcialmente indenizar com mil pedidos de desculpas às milhares e respectivos famíliares de vidas perdidas nas filas hospitalares, perdidas pelas inseguranças públicas, pelas doenças e pestes por faltas de águas encanadas, saneamentos, esgotos e péssimo ensino escolar! Tracanfia-los perpetuamente em solitárias bem escuras e úmidas! Pois se tão pensando que o BRASIL de hoje é o “brasilzinho” de 1964, estão muitíssimo enganados! FORA CUNHA DO CAPETA,! FORA RENAM CANALHA! FORA GILMAR MENTE! FORA PAULINHO MANDADO,! FORA PSDBosta! FORA PMDBostões! FORA DEMmentes! FORA LADRÉRCIO NÉVER! FORA COM TODAS SUAS CORJAS E FAMÍLIAS METRALHAS, FORA REDE ESGOTO DE TELEENGANAÇÃO, COM TODAS SUAS TIAZINHAS, FILIADAS E AFILHADAS! Chegou o momento do “AC e DC” ou “Antes e Depois do Cunha” Estamos no Século XX1! Com a INTERNET no pré-pago! O povo não é mais bobo! ABAIXO AREDE GLOBO!

Deixe um Comentário!