Notícias

Amigos apoiam Chico Buarque após agressões verbais

Amigos apoiam Chico Buarque após agressões verbais

Amigos apoiam Chico Buarque após agressões verbais – Foto: Latuff

Diversas personalidades apoiaram Chico Buarque após a “patrulha ideológica” de alguns beócios no Leblon. Eles mexeram com a pessoa errada.

Uma das primeiras pessoas a apoiar o cantor e compositor Chico Buarque, após agressões verbais sofridas no Leblon, Rio de Janeiro, foi a presidenta Dilma Rousseff, que escreveu em sua conta no Twitter: “Reafirmo meu repúdio a qualquer tipo de intolerância, inclusive à patrulha ideológica. A Chico e seus amigos, o meu carinho.”

O ex-presidente Lula também foi às redes sociais para demonstrar apoio ao amigo e ídolo. Lula, que tem sido brutalmente agredido por antipetistas disse, via Facebook:

“Chico Buarque é um patrimônio da cultura e do povo brasileiro; nosso maior artista, o mais fino intérprete da alma de nossa gente. É admirado, por tudo o que fez e faz na música e na literatura, e respeitado, como cidadão consciente que jamais se omitiu nas lutas pela democracia e justiça social. Um brasileiro com essa trajetória, e que tem no sangue a herança do professor Sérgio Buarque e de dona Maria Amélia, não merece ser ofendido, muito menos por sua coerência. É muito triste ver a que ponto o ódio de classe rebaixa o comportamento de alguns que se consideram superiores, mas não passam de analfabetos políticos. Apesar de vocês, amanhã há de ser outro dia. Receba, querido Chico, nossa solidariedade, sempre.
Lula e Marisa.”

Cacá Diegues, que fazia parte do grupo abordado pelos jovens, falou que Chico teve muita paciência:

“Chico foi um santo, um cavalheiro. Os meninos começaram a hostilizar, do outro lado da calçada. Chico atravessou e foi lá falar com eles. Esta cena de repressão nazista é um exemplo do que está acontecendo no Brasil: a absoluta intolerância. As discussões políticas estão indialogáveis. A disputa política se transformou em duelo. Eles não queriam argumentar, só xingar”

Mais duras foram as palavras do escritor e jornalista Eric Nepomuceno que descreveu num artigo os momentos cruciais da intolerância política apresentada por jovens aparentemente inofensivos.

“O que mais impressiona – e preocupa – na agressão verbal que um grupo de garotões cuja profissão principal é ser filho de pai rico lançou contra Chico Buarque na noite da segunda-feira, 21 de dezembro? Três coisas. Primeiro, a extrema fúria dessa direita desgarrada que acaba de sair do armário embutido. Segundo, a facilidade com que repetem o que dizem os grandes meios de comunicação. E terceiro, a incapacidade para qualquer gesto minimamente civilizado.”

Aos jovens, Chico não esboçou nenhuma resposta específica; mas para bom entendedor meia palavra basta. Na manhã de hoje (23) publicou em sua página oficial a canção “Vai trabalhar vagabundo”, de 1976. Está dado o recado.

2 Comentários

  • Agora fiquei na dúvida, vários artistas se reuniram e enviaram uma carta de apoio à Presidenta Dilma, que carrega consigo a sigla do PT. Uma carta pública de apoio ao Governo Federal. Um Governo marcado pla corrupção, sequestro e desvio do dinheiro do contribuinte. E agora ninguém quer ser criticado ou ridicularizado nas ruas. Caros artistas, olhem pela janela e vejam o índice de desemprego, os números da educação, da violência e da saúde. Felizmente, vocês não representam a classe dos mais desfavorecidos. É muito bonito apoiar o governo aí do Bairro do Leblon.

Deixe um Comentário!