Notícias

Conspiração no ar: Aécio e FHC jantam juntos em SP

Conspiração no ar: Aécio e FHC jantam juntos em SP

Conspiração no ar: Aécio e FHC jantam juntos em SP – Foto: Reprodução/Facebook

A explicação de Aécio é muito plausível: “Com o presidente Fernando Henrique Cardoso, avaliando a extensão da crise”. Com o presidente? Avaliando?

O PSDB nunca está pronto para esquecer do golpe. O golpe é como se fosse uma crise de abstinência: ele retorna sempre e com mais intensidade. O jantar entre Aécio e FHC, no último domingo (29), em São Paulo, poderia ser um simples encontro de um pupilo com o seu mestre; poderia ser o encontro entre o presidente do partido e seu maior cacique; poderia ser o encontro de um futuro presidente com um ex. Não foi. Foi um encontro de conspiradores. Do Brasil 247:

O presidente do PSDB e senador Aécio Neves (MG) jantou neste domingo 29 à noite com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, com quem conspirou contra a presidente Dilma Rousseff. Em sua página no Facebook, Aécio postou a foto do encontro com a seguinte mensagem: “Com o presidente Fernando Henrique Cardoso, avaliando a extensão da crise”.

No últimos dias, a prisão do senador e líder do governo Delcídio Amaral (PT-MS) reacendeu as esperanças golpistas no PSDB, que desde as eleições de 2014 tenta tirar Dilma do poder. Os tucanos, que haviam rompido com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), agora esperam que o deputado abra um processo de impeachment.

A decisão pode ser tomada até sexta-feira 4, conforme anunciou o próprio Cunha na semana passada. A recusa ao pedido está condicionada ao apoio do PT no Conselho de Ética contra a cassação do presidente da Câmara, processo cujo relatório do deputado Fausto Pinato (PRB-SP), a favor da continuidade da investigação, será votado nesta terça-feira 1º.

Cunha também pode autorizar o pedido de impeachment apresentado pelo ex-petista e jurista Hélio Bicudo, que recebe o apoio da oposição, caso receba o apoio de parlamentares da oposição no Conselho de Ética e não seja aprovado, no Senado, o projeto que permite ao governo fechar as contas com déficit de R$ 51 bilhões.

Leia também: Bomba: Serra e Alstom em novo áudio de Delcídio

Acontece que, nas últimas semanas, a imagem do presidente da Câmara deixou de ter legitimidade para tal iniciativa. Alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por recebimento de propina no esquema de corrupção da Petrobras, investigado na Operação Lava Jato, e apontado como dono de contas secretas na Suíça, Cunha acaba de ser acusado de receber R$ 45 milhões do BTG Pactual, cujo dono, André Esteves, foi preso na semana passada junto com Delcídio Amaral.

2 Comentários

  • Como a decisão do Presidente da Câmara federal pode decidir o impeachment da Presidente Dilma se contra ele está em andamento um processo de afastamento do comando da Câmara Federal, por quebra de decoro, corrupção, e outros crimes graves, quer dizer, se fato ele cometeu os crimes, e se há provas contundentes, só se está ritualizando um ato institucional administrativo pra afatá-lo do comando da respectiva Câmara, e ainda assim atos dele tem validade de poder para autorizar o pedido de impeachment?

  • NOBRES SALTEADORES, SE REUNIRAM PARA VER SE OS AMIGOS QUE ESTAO CAINDO, E OS QUE VAO CAIR ENTREGAR OS DOIS SALTEADORES ACIMA. SO CEGO QUE NAO VE MESMO.

Deixe um Comentário!