Blog do Mailson Ramos

Quantas faces tem o PSDB?

Quantas faces tem o PSDB?

Quantas faces tem o PSDB? – Crédito: Antonio Cruz/Agência Brasil

 

Esfacelado, o PSDB se esconde sob facetas nada éticas; um dia apoia o Cunha, noutro convoca coletiva para pedir seu afastamento. Caroneiros como eles não há.

Os tucanos, depois de deixarem passar a boiada, fecham as porteiras e observam a poeira se assentar sobre tudo o que se passou nos últimos meses.

O impeachment não logrou, a presidenta Dilma continua governando e o PSDB, seu partido, procura sólidas ideias políticas onde só existe o abstrato.

O tucanato, fora o afã golpista, se tornou um invólucro opaco como a cabeça do Aécio Neves: nada de ideias, pouco trabalho, lutas, pautas; briga, somente por poder.

No esmaecer dos mais tórridos devaneios, os tucanos acreditaram que Eduardo Cunha deveria aceitar e colocar em pauta o pedido de impeachment da presidenta. Entretanto, o lamaçal provocado pelas contas na Suíça deixou o Cunha sem reação.

O PSDB encontrou de frente o resultado de sua luta frenética pelo impedimento. Tanto o quis que se esqueceu dos projetos grandiosos, se é que algum dia os teve.

O partido está esfacelado e a demonstração é o inexorável atraso com que se reporta à incapacidade de Eduardo Cunha de presidir a Câmara.

Leia também: Fim de papo: tucanos já traem Eduardo Cunha

Quando até mesmo a imprensa e a sociedade avançaram sobre os deputados para reivindicar o afastamento de Cunha, o PSDB se apercebeu de sua posição: está ainda sobre um pináculo, lamurioso pelas derrotas do passado e pelas vindouras.

O PSDB de Sampaio encerrou as cancelas porque o próprio Cunha admite que o golpe esvaziou. E esta verdade dói aos tucanos muito mais do que a derrota para a Dilma, nas eleições.

Diz um provérbio latino, atribuído a Públio Terêncio Afro – e cuja tradução aqui é livre – que “dizendo-se as verdades, perdem-se as amizades” (Obsequium amicos, veritas odium parit).

Se não havia aliança entre Cunha e o PSDB, o que fazia o próprio Sampaio na casa do presidente da Câmara, em Brasília, logo após assinar nota pedindo o seu afastamento?

Qual era, afinal, a ligação entre Cunha e os conchavados do PSDB, senão uma aliança de espúria natureza?

Carlos Sampaio e toda a oposição achincalham a memória do povo.

Na internet há centenas de manchetes (de fevereiro até aqui) para confirmar que eles armaram o laço do caçador em conluio com o achacador-mor da República.

E vão posar de éticos, adentrar nas massas que pedirão o “ForaCunha”.

Porque assim são os tucanos e a direita.

Eles não têm ideias próprias e não sabem ir às ruas como faz a esquerda.

Manterão o discurso de que jamais tiveram ligação com Eduardo Cunha.

E não duvidem se na Comissão de Ética, o PSDB disser que o Cunha era apoiado pelos petistas.

base10

Deixe um Comentário!