Nossa Política

O que a imprensa golpista tem para hoje? Mentiras

Um recorte da inescrupulosa imprensa golpista
Um recorte da inescrupulosa imprensa golpista – Crédito: Reprodução

 

Neste final de semana, a imprensa golpista desceu mais alguns degraus no poço de sua indignidade. Para eles, nem mesmo o lamaçal deste poço é o limite.

Quando o Lula disse que nos próximos três anos haveria muita pancadaria, sabia sobre o que e sobre quem estava falando. Era da imprensa despudorada. Falava do mau-caratismo, do desenfreado destempero, da vil fábrica de ilações e factoides.

O circo midiático, neste fim de semana, está armado sobre três capas que ilustram o quão irreversível é a patologia da imprensa deste país.

Não se pode dela sentir piedade porque existe uma deliberação, um propósito, uma causa.

Eles querem exterminar o Lula e tudo aquilo que nasceu sobre sua política: o Bolsa Família, o Fome Zero, a FIES, o ProUni…

A imprensa golpista não é maquiavélica por descuido, mas por má fé.

E se existe alguma possibilidade de descer até o fundo do poço para forjar notícia, ela o fará sem mais delongas. Confortam-se nas salvaguardas do poder e na ideia de que jamais serão punidas.

Deste despropósito nascem três matérias que se igualam na fecundidade pantanosa das mentiras, das falsas informações.

As revistas Época, Veja e IstoÉ ganhariam um prêmio de acordo com as diretrizes de péssimo jornalismo. Porque novamente são vazias, tendenciosas, panfletárias e mentem. Descaradamente.

Levantam suspeitas sobre o ex-presidente Lula e sobre os seus filhos.

É trágico – não fosse também cômico – porque se sabe que o Lula não está envolvido em nenhuma investigação.

A Época, como afirmou o Instituto Lula em nota, requenta uma matéria sórdida da Veja, já publicada no mês de agosto. Ou seja, elas se contemplam em informações infundadas.

A IstoÉ, também conhecida como QuantoÉ, deu asas a este placebo ministro da Justiça. Atribui-se a ele a frase: “a lei é para todos”, numa referência às supostas investigações sobre os filhos do Lula.

Zé Cardoso não tem cacife para ser sequer secretário de segurança pública em qualquer estado brasileiro.

A Polícia Federal, instrumentalizada como ferramenta política, é o mais vergonhoso vestígio da passagem do petista pelo ministério da Justiça.

Em nome de um republicanismo que serve apenas para desgastar a presidenta Dilma e o governo, o Zé segue irremovível em seu cargo. Outros ministros mais competentes rodaram e ele lá está. Ainda.

Ministro do governo Dilma e petista estampando capa de revista do grupo Globo e entrevistado pela Veja não está fazendo outro jogo senão o do adversário.

Até as carpas do Palácio da Alvorada sabem quem são os inimigos deste governo. Como pode o Zé Cardoso não saber?

E finalmente a Veja, aquela revista que causa asco.

Porque somente com um sentimento de repulsa é que se pode tratar esta publicação.

Eles ainda não chegaram ao fim do poço.

A imagem do Lula vestido como presidiário nos mostra o quão amplo e irrestrito é o ódio nutrido por esta imprensa.

Destas fontes beberão os revoltados, os golpistas intrujados, os analfabetos políticos.

E vociferarão contra o PT, contra o Lula e contra a Dilma.

A doença deles não tem cura.


1 comentário

  • Que golpe ? . Golpe quando uma pessoa tem provas?. Tem divulgar mesmo por exemplo quando um zelador de zoológico vira milionário ou quando um cara do PSDB aceita suborno . liberdade de imprensa não e golpismo e isso vale para esse jornal também. Golpismo e roubar nosso dinheiro e depois vir com a falácia de golpe ou e analfabeto ou e inimigo da patria. Seja lado a ou b roubou ou errou com a justiça tem que ir pra cadeia. Pedir um impeachment não significa golpe. e sim um mecanismo legal da constituição. Se não aceitam a nossa constituição São traidores.