Notícias

Dilma: consensos devem estar acima de todos os interesses

Dilma defende construção de consensos

Dilma defende construção de consensos – Crédito: Roberto Stuckert Filho/PR

 

A presidenta da República, Dilma Rousseff, disse hoje (6) durante assinatura de um decreto que o Brasil, para ser democrático, precisa estabelecer consensos.

“Para que um país do tamanho do Brasil possa ser, de fato, democrático, é preciso exercer a capacidade de estabelecer consensos, acima de todos os outros interesses”, afirmou a presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira (6), ao assinar um decreto que beneficia pequenos empreendedores nas contratações do governo federal.

“Esse País tem de perceber, e suas lideranças têm de perceber, quando os interesses do País devem ser colocados acima de todos os outros interesses”, disse.

Segundo a presidente, foi esse consenso que permitiu os avanços que estão sendo alcançados agora, em benefício das pequenas e micro empresas, setor que está na base da democratização do emprego, da renda e do sonho de ser dono de seu próprio negócio.

A assinatura do decreto ocorreu durante cerimônia no Palácio do Buriti, em Brasília, em que o governador Rodrigo Rollemberg sancionou a Lei de Simplificação de Atividades Econômicas do Distrito Federal e a Implantação do Sistema de Registro e Licenciamento de Empresas. O sistema lançado em Brasília é o primeiro de uma série, previstos para serem implantados a partir de uma parceria dos estados com o governo federal. O projeto foi elaborado por iniciativa do ex-ministro Afif Domingos, da Secretaria da Pequena e Micro Empresa, que acompanhou a presidente Dilma ao Buriti.

O objetivo dessa proposta é diminuir a burocracia e o tempo de abertura e fechamento de empresas. No caso de Brasília, o sistema reduziu esse tempo de espera de 120 dias para cinco dias úteis. Os pedidos podem ser feitos online, de forma integrada com vários órgãos administrativos e dispensa a necessidade de habite-se. Essa medida permite que pessoas que morem em comunidades como favelas, onde não há registro dos imóveis, possam iniciar um pequeno negócio.

“Nós criamos uma base que, acredito, é uma das mais importantes: desvincular a legalidade de uma empresa de sua situação fundiária. Nós sabemos em várias cidades e regiões desse Pais não há a legalidade fundiária. Porque houve um processo de ocupação irregular e que vai exigir todo um nível de procedimentos para que isso ocorra. Mas não é possível, por exemplo, nas favelas do País, nos bairros irregulares, que você exija a comprovação da titularidade do imóvel para poder registrar a empresa. Daí porque eu considero que estamos hoje trazendo à luz milhões e milhões de empresas. É uma luz no fim do túnel sim. E é no túnel que leva ao desenvolvimento do nosso País”.

A presidente lembrou que ontem (5), foi comemorado o Dia da Micro e Pequena Empresa, afirmando que esse setor é uma parte importante desse projeto. “Eu sempre falo do microempreendedor individual, porque ele também é um integrante desse projeto e um batalhador. E nós tivemos uma das mais belas campanhas feitas nesse País, o Compre do Pequeno Negócio, compre do pequeno, compre da pequena empresa”. E lembrou que a campanha movimentou milhares de pessoas, todas comprometidas em estimular o desenvolvimento da economia nacional.

Fonte: Jornal do Brasil

base-banner22

Deixe um Comentário!