Notícias

PT: Gilmar Mendes age com destempero e desvario

PT: Gilmar Mendes age com destempero e desvario

PT: Gilmar Mendes age com destempero e desvario – Crédito: Lula Marques/ agência PT

 

O PT emitiu nota onde repudia as afirmativas do ministro do Supremo, Gilmar Mendes, e pretende acioná-lo judicialmente.

Ontem (16) o ministro do Supremo, Gilmar Mendes, falou por longas três horas do Partido dos Trabalhadores. Ele não esconde mais sua ojeriza pelo PT e não vai poupar esforços para prejudicar o governo da presidenta Dilma Rousseff. Aliás, ele é a representação do retrocesso, do coronelismo, do homem que utiliza de sua posição social e profissional para defender interesses escusos.

Hoje o Partido dos Trabalhadores veio a público através de uma nota repudiando as afirmações do ministro.

Confira a íntegra da nota do PT:

A Direção Nacional do PT repele as acusações contra o partido proferidas pelo ministro Gilmar Mendes na sessão de ontem (16/09) do Supremo Tribunal Federal.

A série de impropérios assacada por Mendes durante as longas horas que durou seu voto ofende até os demais ministros que integram a Suprema Corte. Infelizmente, esses destemperos anti-PT têm se tornado usuais nas falas do ministro, tanto nas sessões do STF quanto nas entrevistas que costuma ofertar aos mais diversos meios de comunicação.

Gilmar Mendes falta com a verdade quando atribui ao PT oportunismo na decisão de condenar o financiamento empresarial. Todos sabem que a defesa do financiamento público, e, portanto, a proibição do financiamento empresarial das campanhas eleitorais, é uma bandeira histórica do PT. Mais do que isso, o PT, em conjunto com centenas de entidades democráticas e movimentos sociais, luta pela realização de uma verdadeira reforma política, através de uma assembleia constituinte convocada exclusivamente para essa finalidade.

Ontem, o desvario do ministro estendeu-se até o ponto de vislumbrar uma conspirata da Ordem dos Advogados do Brasil, em conluio com o PT, para proscrever o financiamento empresarial. É público e notório que a OAB, a quem hipotecamos a nossa solidariedade em desagravo às ofensas que recebeu do ministro, há muito tempo propôs Ação Direta de Inconstitucionalidade para vedar o financiamento empresarial a partidos e candidatos, que só agora voltou a tramitação porque Gilmar Mendes, durante mais de ano, obstruiu sua análise por meio de pedido de vistas.

Em 2014 o PT interpelou judicialmente o ministro Gilmar Mendes a propósito de declarações caluniosas desferidas contra o partido. Aguardamos apenas a transcrição da sessão de ontem para avaliar novas ações contra o referido ministro.

Rui Falcão – Presidente Nacional do PT

base-banner22

Deixe um Comentário!