Notícias

Rui Falcão: prisão de Dirceu foi “espetáculo midiático”

Rui Falcão: prisão de Dirceu foi “espetáculo midiático”

Rui Falcão: prisão de Dirceu foi “espetáculo midiático” – crédito: Lula Marques/Agência PT

 

O presidente do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, refletiu sobre a atuação da mídia durante a prisão do ex-ministro José Dirceu. Para ele, foi muito mais um “espetáculo midiático”.

Após reunião da comissão executiva do PT, nesta terça-feira (4), em Brasília, o presidente do partido, Rui Falcão, disse que o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, deve ter o direito ao contraditório antes de ser considerado culpado pelo que chamou de “espetáculo midiático”.

O ex-ministro, que cumpria prisão domiciliar por participação no esquema do mensalão, foi preso novamente de forma preventiva por seu suposto envolvimento no esquema investigado pela Operação Lava Jato.

“Não estamos abandonando nenhum companheiro nosso. Independente de abandonar ou não, toda pessoa acusada tem que ter direito de ampla defesa e contraditória. No Brasil, estão invertendo o princípio”, disse Falcão ao sair da reunião.

“Pra mim, qualquer pessoa que seja acusada é inocente até que provem o contrário”, disse Falcão. “Dirceu e todos os acusados são inocentes, não são réus, até que se prove o contrário”, considerou.

Falcão se disse ainda preocupado com o que chamou de tentativas de “criminalizar” o PT e disse que há um temor de que se crie um ambiente capaz de fazer o País voltar a um “regime de exceção”. Ele ainda disse se preocupar com o “desvio de foco” da mídia em relação ao atentado ocorrido ao Instituto Lula, em São Paulo, na semana passada.

“Estamos vendo crescer a intolerância e o ódio que contrasta com a tradição do povo brasileiro”, disse.

Ao final do encontro, o partido divulgou um documento com as resoluções da reunião. No documento, a legenda convoca uma “Jornada em Defesa da Democracia” e reforçou a importância da participação da militância em três manifestações de movimentos sociais. Um deles é a Marcha das Margaridas, que se realizará em 11 e 12 de agosto. Outro é o Ato Nacional pela Educação, marcado para 14 de agosto, além do Ato Nacional dos Movimentos Sociais, que será em 20 de agosto.

Lava Jato

“O PT exorta todos os seus militantes a construírem uma trincheira de luta pela democracia, pelos direitos dos trabalhadores/as, pelos direitos humanos, em defesa da Petrobras e do povo brasileiro. Que ninguém se cale! Levantemo-nos juntos!”, diz o texto.

O documento ressalta o clima de intolerância contra o partido instaurado. “O clima de intolerância e ódio que vem sendo acirrado pelas forças conservadoras derrotadas pelas últimas eleições afronta a tradição do povo brasileiro e agrava os problemas que o País vem superando”, afirma o PT, na resolução.

“Causa indignação a conivência silenciosa de certos meios de comunicação e partidos que se dizem democráticos com o atentado de caráter fascista ao Instituto Lula”, diz o documento.

Fonte: IG-Último Segundo

base-banner22