Nossa Política » Notícias » PMDB se reúne por discurso anti-golpe

Notícias

PMDB se reúne por discurso anti-golpe

PMDB se reúne por discurso anti-golpe
PMDB se reúne por discurso anti-golpe – Crédito: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados

 

Bancada de deputados do PMDB, com a presença do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e do vice-presidente da República, Michel Temer, passará dois dias no Rio visitando as obras dos Jogos Olímpicos a convite do prefeito, Eduardo Paes.

O golpe somente acontece com a anuência do PMDB. Disso se sabe há muito tempo. O PSDB sempre soube disso. Aécio Neves que não tem forças para derrubar a presidente Dilma Rousseff deve apelar para aqueles que, dentro do PMDB, já não conseguem ver aliança alguma com o PT. Estes parlamentares que vão se reunir no Rio de Janeiro podem sair de lá com uma resposta muito positiva para o governo. Mas não se pode esperar benesses para o governo – e para o Brasil – onde está Eduardo Cunha. Matéria do Tribuna Hoje.

A bancada de 62 deputados do PMDB foi convidada pelo diretório do partido no Rio de Janeiro a passar dois dias na cidade. O motivo oficial é a visita às obras dos Jogos Olímpicos de 2016, com a hospitalidade do prefeito, Eduardo Paes. Mas será uma oportunidade para que os parlamentares, na companhia de líderes como Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, e Michel Temer, vice-presidente e articulador político do governo, afinem o discurso do partido.

De um lado, uma ala da legenda já procurou o PSDB para uma aliança no cenário em que Temer assume a presidência, no caso remoto de a presidente Dilma Rousseff, alvo de ações no Tribunal de Contas da União e no Tribunal Superior Eleitoral, ser cassada e deixar o poder, após movimentações insistentes por parte da oposição, liderada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). De outro, lideranças históricas da sigla vêm reafirmando o apoio ao PT e à presidente Dilma.

Em entrevista ao Valor Econômico nesta quinta-feira 9, o ex-ministro do governo Dilma Moreira Franco, atual presidente da Fundação Ulysses Guimarães, ligada ao PMDB, afirmou: “o PMDB não trai, não somos golpistas”. No mesmo dia, Michel Temer saiu em defesa da presidente, argumentando que “está na mesma canoa” e que o PMDB “é aliado” da petista. Questionado sobre até quando o PMDB vai segurar a presidente em meio à crise política, respondeu: “Ninguém precisa segurar Dilma. Ela não cai”.

Para o líder do PMDB na Câmara, o encontro dos deputados no Rio “é uma oportunidade de afinar o discurso. Há consenso no PMDB de que o presidente Temer é a principal liderança do partido, e a legenda vê com preocupação a possibilidade de desgaste dele nessa tarefa de articulador político do governo”. Outra função da reunião dos peemedebistas seria testar a aceitação do nome de Paes como possível candidato à presidência da República pelo partido em 2018. A candidatura própria já é algo que vem sendo tratado como concreto por muitos integrantes do partido.

(Acompanhe as publicações do Nossa Política no Facebook. Curta aqui).

Tags