Notícias

Lula aciona Caiado na justiça

Lula aciona Caiado na justiça

Lula aciona Caiado na justiça – Crédito: Waldemir Barreto/Agência Senado

 

Lula aciona Caiado na justiça

Não se pode esperar muita coisa de Ronaldo Caiado, este senador de Goiás que um dia desses, nas famosas manifestações das elites, estampou numa camisa amarela a deficiência do ex-presidente Lula e continua engendrando uma ofensiva quase que diária à imagem do petista. Desta feita, Caiado utilizou as redes sociais para ofender Lula e chama-lo de “bandido frouxo”.

É muito engraçado ver como funciona a máquina da oposição: eles atiram para todos os lados, quando na verdade querem atingir é o Lula. Que nada pese sobre a consciência do ex-presidente, ainda assim ele será achincalhado por esta oposição mesquinha que sempre tem um pé na lama. Caiado deveria sim explicar ao Brasil seu envolvimento com os amigos Demóstenes Torres e Carlinhos Cachoeira.

O Estadão traz o conteúdo desta matéria que evidencia a queixa-crime de Lula contra Caiado. Haverão mais desdobramentos. É só aguardar.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com um pedido de queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). A defesa do ex-presidente pede a condenação do senador pelos crimes de “calúnia, injúria e difamação”.

Em fevereiro, o senador escreveu em sua conta no Twitter uma mensagem chamando o ex-presidente de “bandido”. “Lula tem postura de bandido. E bandido frouxo! Igual à época que instigava metalúrgicos a protestar e ia dormir na sala do delegado Tuma”, escreveu Caiado na rede social.

Para a defesa, a postagem pode ser configurada como crime de calúnia e difamação. No documento, os advogados argumentam ainda que o tipo de afirmação feita por Caiado extrapola a imunidade parlamentar e configurou uma grave ofensa ao ex-presidente.

Essa última afirmação foi feita para evitar que o senador alegue imunidade parlamentar para se eximir de culpabilidade pela postagem. O pedido foi protocolado nesta quarta-feira (08), e ainda aguarda distribuição para um ministro relator.

(Acompanhe as publicações do Nossa Política no Facebook. Curta aqui).