Notícias

Dilma Rousseff, a TV e o diálogo

Dilma Rousseff, a TV e o diálogo

Dilma Rousseff, a TV e o diálogo – Crédito: Reprodução/Facebook

Em busca de um diálogo maior com a população, a presidenta Dilma Rousseff vai à TV nas próximas semanas; planalto investe na criação de um site para estreitar relações entre a população e o governo.

A presidenta Dilma Rousseff não discursou na TV no primeiro dia de maio. E daí? Ela não precisa aparece em redes de televisão cujo discurso contrário faz minar um veneno dia após dia sobre sua governabilidade. As tradicionais organizações da imprensa brasileira aderem à imprescindibilidade da TV para um governante brasileiro. Aqui tudo o que gera eco foi criado ou passará pela telinha. Há nisso uma pretensão mascarada de normalidade: os políticos precisam da televisão para sobreviver enquanto sujeitos discursivos. E agora é a TV que abre uma bocarra imensa para engolir a presidenta. De novo.

Um dia alguém questionou que os problemas do governo não eram de comunicação, mas sim administrativos. É preciso dizer mais: os problemas do governo são de ordem administrativa, comunicacional e institucional. A televisão não esboçará resultados e níveis melhores de aceitação porque nela se engendra uma máquina midiática que martela a cabeça do governo (e do brasileiro) vinte e quatro horas por dia. Reduzido ao ocaso da meia noite, o Programa do Jô recebeu a presidenta no mês de junho. Naquele momento, aquele era o espaço menos hostil para a Dilma.

Mariana Godoy Entrevista é o próximo programa a ser visitado por Dilma Rousseff. Nos últimos tempos, sua equipe tenta humanizar a imagem institucionalizada da presidenta da República. Mais interessante é perceber que a TV ainda é reduto de milhões de brasileiros. O governo precisa de ancoragem no ciberespaço – já a tem com os blogs progressistas que carregam pianos todos os dias –, mas precisa também mensurar a satisfação ou a insatisfação popular, sem precisar aderir às pesquisas destes institutos que medem o imensurável.

Dilma deve buscar apoio com o povo e precisa se reconciliar com suas bases. Não é apenas inaugurando obras e divulgando acordos de sucesso em viagens pelo mundo que ela vai domar o dragão. Precisa ser mais objetiva, falar ao povo sem medo, dar nome aos bois de sua perseguição midiática e política, romper com os grupos que tentam destruir seu governo e aderir a novos canais de comunicação como o site “Dialoga Brasil” que está sendo construído para intensificar e estreitar as relações entre os brasileiros e o governo.

base-banner22