Notícias

Catta Preta vai embora para Miami

Catta Preta vai embora para Miami

Catta Preta vai embora para Miami

Causa estranhamento a renúncia da advogada Beatriz Catta Preta aos casos defendidos na Lava Jato; ela foi defensora de Pedro Barusco, Paulo Roberto Costa e Júlio Camargo.

Beatriz Catta Preta, a advogada dos mais incisivos delatores da Lava Jato, não mais que de repente abandonou os clientes e vai partir para Miami. Ela foi a responsável pelas negociações das delações de Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco e Júlio Camargo; este último provocou-lhe a deserção. Desde a última sexta-feira (17) em que o empresário da Toyo Setal delatou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, a advogada repensou a possibilidade de se manter na defesa.

A teoria da conspiração não está muito longe da realidade e os analistas políticos estão queimando os pinos para descobrir o que está por trás desta renúncia. O fato é que a imprensa começou a estrinçar o assunto. Segundo a Folha de S. Paulo, Catta Preta passou a sofrer pressão de aliados de Cunha. Integrante da CPI da Petrobras, o deputado Celso Pansera (PMDB-RJ) apresentou dois requerimentos relativos à advogada.

O primeiro deles determinou que ela fosse convocada para explicar a origem do dinheiro que recebeu como pagamento dos réus da Lava Jato. No outro, dirigido a uma juíza do Paraná, exigiu a lista de todos os clientes da criminalista. Este mesmo deputado Pansera agiu contra outros personagens da operação. Pediu a quebra do sigilo de parentes do doleiro Alberto Youssef – que também citou Cunha como beneficiário do esquema – e a convocação do filho de Julio Camargo à CPI.

A advogada informou aos seus clientes que eles têm até o dia 30 de julho para constituir um novo defensor. Ainda de acordo com a Folha de S. Paulo, no meio jurídico onde Catta Preta costuma ser atacada por críticos da delação premiada, especula-se que seus honorários estão entre R$ 2,5 milhões e R$ 5 milhões por causa.

Beatriz Catta Preta está de mudança para Miami, nos EUA, com pelo menos R$ 22,5 milhões no bolso. Com honorários entre R$ 2,5 milhões e R$ 5 milhões por causa, ela pode chegar a R$ 45 milhões na Lava Jato, uma vez que fez 9 das 17 delações.