Blog do Mailson Ramos

Lula é o alvo perfeito

Lula é o alvo perfeito

Lula é o alvo perfeito – Crédito: Fotos Públicas

 

Lula é o alvo perfeito

Salvador-Ba – Nos últimos tempos, uma foto provocou mais furor na política do que qualquer declaração, segredo de bastidor ou manchete de jornal. Quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apareceu malhando numa academia, deu vazão a uma infinidade de conjecturas. Deduziram oposicionistas: Lula concorrerá em 2018. Antes mesmo que as palavras de seus assessores fossem aferidas no anonimato das fontes jornalísticas, a tripla artilharia mobilizou um arsenal diante da imagem do Lula: imprensa, judiciário e oposição não marcaram um só minuto de trégua na tarefa de vilipendiar a imagem do ex-presidente. Nos últimos tempos, o Instituto Lula se transformou num canal de resposta às mais esdrúxulas publicações. Querem destruir o Lula. E 2018 já começou.

A tormenta tem um ponto crucial; fosse um furacão teria um olho destruidor. A imprensa a quem me refiro em todas as publicações é sempre a mesma: a que acusa sem investigar, a que difama sem recorrer aos fatos e aos dados, a velha, a oligárquica, a reacionária. É ela o objeto preferido das ideias conservadoras de uma oposição em constante ocaso. É aquela que tem matérias quase prontas porque se muda o lead não muda o conteúdo; são sempre críticas ferozes sem nenhum embasamento e colocando o jornalismo profissional na posição de suas convicções pessoais ou de interesses escusos.

Poderia dizer que a imprensa no Brasil constrói seu discurso midiático em torno dos discursos políticos. Mas isso não é verdade. Contradição estarrecedora se colocarmos em questão a originalidade da imprensa e dos nossos políticos. O combustível da oposição ao governo Lula eram as revistas e os jornais panfletários; nada continuou tão parecido no Brasil desde que Dilma Rousseff assumiu a presidência da República. A diferença agora é que, depois de muito brigar para derrubar a presidente, os oposicionistas resolveram mirar para o Lula. Enquanto Dilma, aos poucos cimentava sua posição neste segundo mandato, Lula permanecia intacto.

Ao que parece a política não é um jogo fácil e nem mesmo a imprensa ou a oposição tem olhos capazes de vigiar todo o perímetro político e analisar todas as situações. Desta feita, o PMDB tem Eduardo Cunha, o PSDB já não tem mais o Aécio (que mergulhou no ostracismo de sua insignificância política) e o PT continua sobrevivendo aos trancos e barrancos na defesa do governo e da imagem de Lula. Não demora muito e o pleito presidencial será antecipadamente acirrado com as cartas marcadas. Muita água poderá rolar por baixo desta ponte, mas uma coisa é certa: eles querem pegar o Lula. Querem desancar o PT e transformá-lo num partido sem representação alguma. Talvez a própria legenda tenha apressado sua extinção.

Mas se existe uma maneira de superar todas as crises, no momento, é defender-se. Querem entregar o Brasil nas mãos de quem levanta bandeiras éticas e depois as queima. Ou melhor, as queimou antes e agora levantam seus bastiões em nome de um Brasil mais justo. Este engodo de que a política precisa ser renovada com pessoas reacionárias e conservadoras a mim não engana. Atrás do ataque ao Lula estão os mais obscuros interesses hegemônicos deste país. As histórias mal contadas aos disseminadores do ódio aqui não colam. Parece-me sempre a tentativa de reestabelecer uma velha organização social e conservadora onde os pobres jamais deveriam entrar em shoppings, universidades e aviões; Lula é o alvo perfeito quando míopes e torpes são os seus algozes.

base-banner22