Nossa Política » Notícias » Dilma pede união para avançar em Congresso do PT

Notícias

Dilma pede união para avançar em Congresso do PT

Dilma pede união para avançar em Congresso do PT
Dilma pede união para avançar em Congresso do PT – Crédito: Fotos Públicas

 

Dilma pede união para avançar em Congresso do PT

A presidente Dilma Rousseff esteve presente no 5º Congresso Nacional do PT e, como era de se esperar, tentou unificar as forças da militância em torno do seu governo. Esta era um atitude esperada, uma vez que a presidente da República passa por dificuldades de apoio inclusive da base aliada no Senado e na Câmara dos Deputados. A matéria a seguir é uma reprodução da Agência PT de Notícias.

A presidenta Dilma Rousseff pediu, em discurso durante a cerimônia de abertura do 5º Congresso Nacional do Partido dos Trabalhadores, em Salvador (BA), que o PT, os partidos aliados, os movimentos sociais e os militantes da legenda continuem a caminhar “juntos e firmes” para transformar o Brasil.

“Todos que estão aqui (no 5º Congresso) compartilham essa vontade de transformar o Brasil. Para alcançar isso, precisamos caminhar juntos e firmes. Preciso de cada um de vocês, de toda força que vocês podem me dar, estando ao meu lado”, disse a presidenta.

“Eu preciso contar com o meu partido, que é livre para fazer propostas, autônomo na defesa do programa, firme nas críticas, porque elas não necessárias. Nunca achamos que nós devemos andar no mesmo ritmo e pensar do mesmo jeito”, completou.

Durante o discurso aos petistas, ela ainda pediu que eles não se deixem abater por discursos e comportamentos intolerantes. “Eles são produtos de um intolerância e de uma minoria”, avaliou.

Ela também solicitou que os militantes petistas não se submetam aos que torcem pelo fracasso do partido e do governo federal. “Municiem-se de informações. Falem da Petrobras sim. A Petrobras reorganizada, capaz de punir aqueles que dela se beneficiaram ilicitamente”, falou.

Além disso, Dilma voltou a defender o ajuste fiscal promovido pelo governo federal. Segundo ela, apesar das mudanças, o governo não alterou os compromissos com o Brasil e que são defendidos pelo PT desde 2003, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o mandato.

“Esse é o momento para dizermos que nós somos um governo que tem a coragem de realizar ajustes e que faz esses ajustes para dar sustentabilidade, continuidade, perenidade e fazer avançar o projeto de desenvolvimento, de mudanças, que adotamos desde 2003″, garantiu a presidenta.

“Eu vim para assegurar a cada militante petista que temos uma agenda forte, consistente, de medidas, que vão garantir a retomada do crescimento, a continuidade e o avanço do processo de inclusão, de ascensão social do nosso povo”, completou Dilma.