Figura Política

Juscelino Kubitschek: um homem de planos, ideias e ações

Juscelino Kubitschek: um homem de planos, ideias e ações

Juscelino Kubitschek: um homem de planos, ideias e ações

Juscelino Kubitschek está marcado na história brasileira por causa da fundação de Brasília e o salto desenvolvimentista que propiciou ao país.

Juscelino Kubitschek nasceu em 12 de setembro de 1.910 e Diamantina – MG, de uma família pobre. Estudou com grande dificuldade até formar-se médico urologista em  1.927.

Elegeu-se Deputado Federal por dois mandatos, posteriormente Senador. Foi Prefeito de Belo Horizonte e Governador do estado de Minas Gerais, até chegar à presidência da república.

Em 1.940, foi nomeado prefeito de Belo Horizonte por Benedito Valadares, mas apesar disso, não comungava com os ideais totalitários do estado novo. Convidou Oscar Niemeyer, que lá iniciou suas atividades de arquiteto.

 Sua performance administrativa sempre foi revolucionária, ainda candidato à presidência, prometeu desenvolver 50 anos em 5 e elaborou um ousado plano de metas. Dotado de uma visão extraordinária, soube cumprir suas promessas de Campanha.

 A decisão de construir Brasília, ocorreu em um comício de Juscelino na cidade de Jataí, Goiás. Antônio Soares Neto, mais conhecido como Toniquinho JK, que da platéia, perguntou a Juscelino se ele estava disposto a cumprir a Constituição. Obviamente a resposta só poderia ser “Sim”, e a constituição previa a transferência da Capital Federal para o planalto. Juscelino respondeu: – Se está na Constituição, então vou cumprir. E teve que incluir o faraônico projeto em seu já apertado plano de metas.

 O governo de Juscelino evidenciou as disparidades regionais, principalmente no Nordeste, trouxe a indústria automobilística para o Brasil, o que alimentou a inflação e a crescente dívida externa nesse período. Ainda assim, calou a oposição com trabalho e responsabilidade, sendo hoje, indiscutivelmente, nosso maior estadista.

 Ao final de seu mandato, Juscelino foi eleito senador pelo estado de Goiás, mas acabou cassado pelo Golpe Militar de 1964. Após alguns anos de exílio, na América e Europa, o ex-presidente retorna ao Brasil para desenvolver atividades empresariais. Morre em 22 de agosto de 1976, em um acidente de carro em condições ainda não totalmente esclarecidas.

Revista Literária

Deixe um Comentário!