NP Online » Editorial » ‘Veja’ versus Bolsonaro: A serpente e o ovo da serpente
Editorial

‘Veja’ versus Bolsonaro: A serpente e o ovo da serpente

‘Veja’ versus Bolsonaro: A serpente e o ovo da serpente
‘Veja’ versus Bolsonaro: A serpente e o ovo da serpente
Somente agora a ‘Veja’ se dá conta do monstro criado em sua redação. E nas redações da mídia que destruiu toda a classe política para criar o que chamava de “o novo”.

A ‘Veja’ catequizou boa parte dos brasileiros contra os governos petistas; surfou na onda de reacionarismo e conservadorismo que inundou este país de ponta a ponta; foi porta-voz de medidas arbitrárias do Judiciário e condenou a esquerda à periferia do cenário político.

Por outro lado, a revista dos Civita apoiou as forças de direita que surgiam neste palco de retrocessos culturais, políticos e sociais; foi a serpente – junto com toda a imprensa golpista – que depositou os ovos da discórdia, as personificações do tempo sombrio que o Brasil vive.

Uma destas nefastas personificações do conservadorismo e da extrema-direita é Jair Bolsonaro. De um deputado desbocado a pré-candidato à presidência da República em 2018, ele é fruto da manipulação midiática, do maniqueísmo da Lava Jato, das mentiras que a mídia criou para ajudar a derrubar os governos do PT.

Hoje a ‘Veja’ se assombra com o monstro que criou.

É a serpente mirando de longe o filhote que um dia pode devorá-la. Militares falam em intervenção; generais falam claramente em golpe de estado caso a situação de crise não se resolva; o presidente ilegítimo negocia abertamente com deputados o arquivamento de nova denúncia contra a sua pessoa. O problema não era o PT. Problema o Brasil vai ter agora.

Bolsonaro não é mais uma bolha na internet. Os seus discursos extremistas fazem coro inclusive numa juventude letrada e de classe social elevada. Ele promove a imbecilização, mas é esperto o suficiente para arrancar votos e não simplesmente apoio.

Somente agora a ‘Veja’ se dá conta do monstro criado em sua redação. E nas redações da mídia que destruiu toda a classe política para criar o que chamava de “o novo”. É este Bolsonaro, que há 26 anos exerce mandatos na Câmara dos Deputados, que a mídia escolheu para ser “novidade”.

E ela, a grande mídia, já se arrepende da escolha. É porque não viu o tamanho das presas do próprio filhote.

4 Comentários

Clique aqui para escrever um comentário

  • Acho que devemos ter um político militar só assim conseguimos a base da força colocar na cadeia os políticos ladrões e corruptos que comprovadamente são criminosos e ficam criando leis para sair impune pois no momento nem o judiciário eles estão respeitando. Intervenção militar já.

  • Não foi a veja que criou bolsonaro, ele simplesmente representa os cristaos conservadores de direita que não aceitam mais as barbaridades cometidas pela esquerda no Brasil. Voces esquerdistas perderam e conformem-se.

  • Não temos uma escolha certa, mas com certeza Bolsonaro não é a solução. Simplesmente mais um idiota no poder. Já que a 26 anos tramita na política e não fez nada de bom para o país. Um ditador que vai querer brincar de governar uma nação com o todos os outros.