NP Online » Capa » Jogo sujo: Relator ataca denúncia e defende Michel Temer
Capa

Jogo sujo: Relator ataca denúncia e defende Michel Temer

Jogo sujo: Relator ataca denúncia e defende Michel Temer
Jogo sujo: Relator ataca denúncia e defende Michel Temer
O deputado Bonifácio de Andrada não poupou críticas à denúncia apresentada pelo MPF e defendeu Michel Temer em relatório lido na CCJ da Câmara.

Do G1:


A leitura do relatório começou no meio da tarde desta terça-feira (10). Bonifácio de Andrada levou uma hora e quatro minutos. Em vários momentos, o deputado criticou a atuação do Ministério Público e atacou a denúncia contra o presidente Temer. Rodrigo Janot acusou Michel Temer de liderar uma organização criminosa por mais de uma década e de continuar a liderar quando assumiu a Presidência. Segundo a denúncia, o crime teria sido cometido de forma continuada.

“Essa denúncia apresenta uma ampla acusação à vida pública brasileira, procurando constatar nesses quase 20 anos de resistência política, a organização criminosa como instituto a ser considerado predominou e dominou em todos os governos. Esse amplo abuso sistemático que o Ministério Público vem fazendo, do conceito de organização criminosa, sofre severas críticas da doutrina especializada, conforme as lições dos professores Paulo Cesar Busato e Cesar Roberto Bittencourt, que afirmam o seguinte: ‘Pois ao longo dos últimos 20 anos, não tem sido outra a nossa constante preocupação, qual seja, a banalização que as instâncias formais de controle têm feito sobre a concepção do crime organizado. Agora, mais do que nunca, é inadmissível esses abusos no poder de denunciar contatando com a competência do Judiciário, pois visando limitar essa prática abusiva, o legislador foi mais contundente na definição do elemento subjetivo desse tipo. O conceito de organização criminosa não pode ser banalizado e nem tampouco usado abusivamente’”, afirmou.

Bonifácio de Andrada disse, ainda, que o presidente Temer não pode ser denunciado por crimes supostamente cometidos fora do mandato.

“Tudo que se menciona antes da posse do presidente da República, todas as acusações levantadas contra ele, em datas anteriores ao seu governo, não deve ser objeto de análise de julgamento porque a Constituição é clara ao dizer que o presidente não pode ser responsabilizado por fatos estranhos ao exercício do seu mandato. É curioso que uma das acusações contra o presidente da República enseja no fato de que ele fez nomeações e organizou o seu ministério, e faz o seu governo no momento em que assumiu a direção do país. É um posicionamento, que por mais uma vez que se queira justificar por parte do contido da denúncia, constitui uma assertiva que no meio político não é só absurda, como por certo aspecto é até mesmo uma pilhéria.  Aliás, tal procedimento trata-se de uma competência constitucional do atual presidente e de qualquer outro que ocupe essa posição.” (…)


2 Comentários

Clique aqui para escrever um comentário

  • O quê se podia esperar de um indivíduo cuja família está na política desde 1822, portanto PROFISSIONAIS DA VIDA PÚBLICA. e que certamente adora jogadas rasteiras. O antepassado mais ilustre da família brigou com Dom Pedro I, certamente para prevalecer seus interêsses. DE POVO, indubitàvelmente não entende nada, se acostumou às mamatas que certamente está no DNA da família, são quase duzentos anos se regalando à SOMBRA do poder. Me considero razoàvelmente politizado, e desconhecia que êsse MEQUETREFE, ainda fizesse parte da política brasileira, para mim, já estava morto há muito tempo.