Temer se encontrou com Raquel Dodge às 22h e fora da agenda oficial

Temer se encontrou com Raquel Dodge às 22h e fora da agenda oficial

Temer se encontrou com Raquel Dodge às 22h e fora da agenda oficial

Michel Temer recebeu, nessa terça-feira à noite, fora da agenda oficial e às 22h, a futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Saiu no Estado de Minas:


No mesmo dia em que pediu a suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o presidente Michel Temer recebeu, nessa terça-feira à noite, fora da agenda oficial, a futura procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Dodge foi indicada por Temer para substituir Janot, que termina o mandato no dia 18 de setembro. A assessoria de imprensa do  Palácio do Planalto disse que o presidente e a futura procuradora-geral, que chegou ao Palácio do Jaburu por volta das 22 horas, se encontraram para  discutir detalhe da posse.

Janot ofereceu denúncia contra temer por corrupção passiva, que acabou sendo rejeitada pela Câmara dos Deputados.

A defesa do presidente , ao pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspeição de Janot, alegou que o procurador-geral da República tem “uma obsessiva conduta persecutória”  em se tratando de Temer.

O ministro do STF,  Gilmar Mendes, também saiu em defesa de Temer ao afirmar, nessa segunda-feira (7),  em entrevista a uma rádio gaúcha, que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é o mais “desqualificado” que já passou pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

O ministro também disse que certamente o STF vai reavaliar o acordo de colaboração premiada firmado pela PGR com os irmãos Joesley e Wesley Batista, do grupo J&F, que embasou o a denúncia de Janot contra Temer.



3 Comentários

  • Li de algum político estrangeiro que, se Dilma tivesse tanto “apego” ao poder e a ele se aferrasse com unhas e dentes como o sr. Obscuro, não teria caído. Dilma referendou a escolha de Janot, imbuído da alta missão de destruir um partido político representativo de milhões de brasileiros, numa ação que premia bandidos professos que delatam, lavando-lhes o dinheiro arrecadado de contratos espúrios e prende possíveis chefes da quadrilha, i. é, políticos do PT, sem outra prova que a delação, e do PMDB com provas do Ministério Público da Suíça. Seu obscuro sucessor escolheu D. Dodge! O primeiro encontro, à época da apresentação da representação contra si, cria preocupação.

Deixe um Comentário!