O feminismo livrou Patrícia Lélis de Eduardo Bolsonaro

O feminismo livrou Patrícia Lélis de Eduardo Bolsonaro

O feminismo livrou Patrícia Lélis de Eduardo Bolsonaro

E não só. Antes de se envolver com o filho de Jair Bolsonaro, Patrícia Lélis denunciou o pastor Marco Feliciano (PSC), correligionário de Eduardo, por tentativa de estupro.

Na época das denúncias, toda a alta cúpula do PSC se mobilizou para abafar o caso e criminalizar a jovem. Patrícia chegou a receber propostas financeiras de líderes políticos e religiosos para permanecer em silêncio.

Renegada por quem defendeu a vida inteira, Patrícia Lélis recebeu o apoio de organizações feministas e, aos poucos, se aproximou do feminismo.

Leia também:

Nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro recebeu uma resposta de Patrícia Lélis, após fazer postagem criticando-a por seu comportamento “feminista”.

Eduardo Bolsonaro:Eu começo a ‘entender’ a importância da figura masculina na vida de uma mulher quando minha ex-namorada que já se declara feminista é vista em uma balada LGBT acompanhada de um médico cubano, usando uma roupa vulgar e, como se não bastasse, rebolando até o chão. E ainda posta isso na internet, como se fosse uma atitude louvável. Lembrando que antes do feminismo ela andava com roupas discretas, não rebolava até o chão, e namorava comigo. 😉 #FeminismoÉDoença

Patrícia Lélis:Eu comecei a entender a importância do feminismo quando fui abusada por seu amigo de partido e você me pediu para ficar calada, mesmo sabendo que era verdade e me vendo machucada fisicamente e psicologicamente. Foi daquele dia em diante que eu comecei a entender o feminismo. Até então eu aceitava as suas grosserias, abusos e traições. Foram 3 anos e 8 meses em um relacionamento abusivo. Eu estou percebendo que tudo na vida evolui, menos você. Falta de elegância ficar pedindo para terceiros te passarem informações sobre onde e com quem estou. Você consegue desrespeitar até mesmo pessoas que você nunca viu na vida, menosprezando e desvalorizando o próximo. Sabe qual foi o principal motivo que nos levou ao término? Eu descobrir que eu sou dona de mim, descobrir que sou um ‘mulherão da porra’, e quando descobri isso, você ficou com medo. Moleques não aguentam mulheres fortes. Só para terminar esse post: esse médico cubano que você tentou menosprezar nesse post, além de ser um baita ‘homão da porra’, me leva pra balada, não reclama das minhas roupas e maquiagem, dança comigo, e cá entre nós: tem uma ‘pegada’ que você nunca teve na vida. Beijo, Eduardo. E vê se para de me ligar e mandar mensagens dizendo que tá com saudades, tá chato já!

O feminismo livrou Patrícia Lélis de Eduardo Bolsonaro

O feminismo livrou Patrícia Lélis de Eduardo Bolsonaro

Deixe um Comentário!