Paulinho da Força recebia propina para acabar com greves

Paulinho da Força recebia propina para acabar com greves

Paulinho da Força recebia propina para acabar com greves – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr

De acordo com Fernando Reis, presidente da Odebrecht Ambiental, Paulinho da Força atuou para desmantelar movimentos grevistas.

O deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP), presidente da Força Sindical, atuou como um “tutor” para ajudar a Odebrecht a lidar com movimentos sindicais. A declaração é do ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Reis. Ao menos desde as eleições de 2010, Paulinho recebeu, segundo delatores, recursos de caixa dois da construtora para auxiliar na relação com movimentos grevistas. No total, R$ 1,2 milhão teria sido pago em duas campanhas.

Reis afirma que Paulinho recebeu em 2014, na sede da central sindical, R$ 1 milhão em espécie como contrapartida pela ajuda à empresa.

Leia também:

Temer nomeia filho de Paulinho da Força para o Incra

— Na verdade, esse pagamento tinha o objetivo de que se mantivesse com ele (Paulinho) uma relação boa, e, através dele, quase que uma tutoria para a gente saber lidar com movimentos sindicais e centrais sindicais, já que ele era um dos pioneiros das centrais no Brasil — afirmou Reis.

O executivo conta que seu relacionamento com o parlamentar começou em 2013, durante as manifestações de junho. Reis lembra que a empresa teve sua sede em São Paulo invadida e cita a greve na Empresa Brasileira de Terminais Portuário (Embraport), que pertence à Odebrecht, como um dos episódios em que contou com a ajuda do deputado sindicalista. Paulinho recomendou estratégias para a Odebrecht, apresentou pessoas que podiam ajudar a debelar greves e promoveu contatos com representantes do movimento sem teto para evitar novas invasões.

(…)

Fonte: O Globo

1 Comentário

Escreva um comentário