O índio não é um intruso

O índio não é um intruso

O índio não é um intruso

Quando chegaram os portugueses os índios já estavam aqui. As terras são suas. Mas ele é tratado como o incômodo. Quem, de fato, é o intruso?

Quando os portugueses aqui chegaram, os índios eram a maioria. Estima-se que houvesse de 4 a 6 milhões de índios vivendo no Brasil em 1500.

Hoje, conforme dados da Fundação Nacional do Índio (Funai) existem, atualmente, 460 mil índios residindo em aldeias no Brasil, correspondendo a 0,25% da população brasileira.

Eles estão reduzidos a um espaço 12% do território brasileiro.

E são reféns de uma política de demarcação de terras que cada vez privilegia mais os latifundiários. Recentemente, o governo de Michel Temer promoveu um verdadeiro desmonte da Funai.

Os direitos da população indígena são suprimidos dia após dia. O atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio, responsável agora pela demarcação de terras,  é declaradamente um inimigo dos índios.

É como se o índio tivesse invadido estas terras.

Na verdade, eles tiveram as suas terras invadidas por uma gente que tentou escravizá-los, que dizimou boa parte da sua população, que ainda hoje mantém um sistema de rechaço à sua cultura.

O índio não é um intruso.

Ele é dono das suas terras; a sua cultura é a nossa cultura; as suas influências são gravadas em características muito peculiares de outros brasileiros. Porque os índios também são brasileiros. E a lei precisa protegê-los.

Precisamos pensar na causa da indígena não somente no dia 19 de abril, mas em todos os momentos. Por uma justiça histórica, por um ideário de pertencimento, por respeito à nossa ancestralidade como brasileiro.

1 Comentário

  • S*, M*, Ma*, C*, P* não teriam êxito em seus planos se vivêssemos em uma democracia. Por isso, o golpe (em 1 ano, temos o direito comprovado de chamar 17/4/2016 de golpe contra o povo brasileiro, sociedades originárias incluídas).

Escreva um comentário