Nossa Política » Palavras & Opiniões » Moraes censura entrevista de Eugênio Aragão
Palavras & Opiniões

Moraes censura entrevista de Eugênio Aragão

Moraes censura entrevista de Eugênio Aragão
Moraes censura entrevista de Eugênio Aragão – Foto: NP
Entrevista de Eugênio Aragão foi publicada no site do PT. Liminar pede a retirada da matéria. O partido vai recorrer da decisão que é um atentado à democracia.

Do site do PT:


O ex-ministro golpista da Justiça e agora nomeado para o Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes obteve na Justiça uma liminar que censura o site do PT.

A liminar impede que o partido mantenha no ar uma entrevista com o ex-ministro da Justiça do governo Dilma Rousseff Eugênio Aragão, repleta de críticas à conduta de Moraes à frente da pasta. Aragão também condenava o histórico do novo ministro do STF.

Em nota, o secretário de Comunicação e vice-presidente do PT, Alberto Cantalice, informa que o partido vai recorrer da decisão. Para ele, a censura “é mais um atentado à democracia perpetrado por integrante do ilegítimo governo golpista que hoje ocupa o poder no Brasil”.

O texto foi publicado pelo site do PT em 11 de janeiro, diante da crise no sistema penitenciário brasileiro e da falta de ações do governo golpista. O partido foi intimado da decisão nesta quinta-feira (9).

Veja aqui a matéria publicada e o vídeo da entrevista exclusiva de Eugênio Aragão ao site do PT.

Leia a nota:

“ Nota Oficial

A censura sofrida pelo página do PT na internet, a partir de uma ação judicial movida pelo ex-ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, é mais um atentado à democracia perpetrado por integrante do ilegítimo governo golpista que hoje ocupa o poder no Brasil.

É profundamente lamentável, e causa grande preocupação, o fato de que Moraes, recentemente nomeado para a mais alta corte de Justiça do país, tenha mobilizado seus esforços para censurar a opinião do ex-ministro do Governo Dilma Rousseff, Eugênio Aragão, exposta em entrevista à Agência PT.

O Partido dos Trabalhadores irá recorrer contra essa decisão, que lembra os piores dias do regime militar, e continuará lutando pelo retorno do Brasil ao Estado Democrático de Direito, que só acontecerá quando houver novas eleições diretas para a presidência da República.

Alberto Cantalice

Secretário Nacional de Comunicação do Partido dos Trabalhadores”



1 Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

  • Essa é mais uma não-liberdade com que MT e seus, digamos, correligionários nos brindam. Há a não-liberdade de informação (pq é proibido dar qualquer informação sobre movimentos contrários ao golpe), de manifestação (pq toda greve, passeata deve ser reprimida); além de outras

Receba Notícias!