Tucanos vão apoiar Maia para derrubar Temer

Tucanos vão apoiar Maia para derrubar Temer

Tucanos vão apoiar Maia para derrubar Temer – Foto: Reprodução

Para a professora de Ciência Política da Unirio, Clarisse Gurgel, o apoio do PSDB a Maia é na verdade uma jogada dos tucanos para conquistar a Presidência da República.

Conforme a eleição da Presidência da Câmara dos Deputados se aproxima, no dia 2 de fevereiro, as estratégias usadas pelos pré-candidatos, principalmente pelo favorito na disputa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), começam a ser delineadas. Contudo, analistas já enxergam objetivos claros em algumas aproximações. Para a professora de Ciência Política da Unirio, Clarisse Gurgel, o apoio do PSDB a Maia é na verdade uma jogada dos tucanos para conquistar a Presidência da República. “O PSDB apoia o Maia e Maia implementa a queda do Temer. Ele sempre foi um ‘tapa buraco’ no projeto tucano de chegar ao poder, e eles querem eleição indireta. Mesmo com o povo contra isso”, afirma.

Até a última sexta-feira (6), Rodrigo Maia ainda não havia oficializado sua candidatura. Na visão de Clarisse Gurgel, Maia busca, com essa estratégia, “evitar contra-ofensivas mais organizadas”. “Provavelmente ele quer se oficializar como candidato já com um apoio mais consolidado”, diz Clarisse. Para ela, a atitude de Maia também tem como intuito ganhar tempo e evitar possíveis recursos em tribunais judiciais contra ele.

Para Clarisse, a eleição ao cargo do Legislativo – dada a fragilidade de Michel Temer – é importante a ponto dela afirmar que “o presidente da Câmara não se candidata à Presidência da Câmara, e sim à Presidência da República. Maia vai conduzir a eleição para o novo presidente da República. E assim, tudo se resolve no mercado político do Palácio.”

A importância do cargo é tanta, que, de acordo com a professora, “é até curiosa a chamada ao debate feita pelo pré-candidato Rogério Rosso (PSD-DF). Isso daria ainda mais a cara de uma disputa para a Presidência da República.” Sobre este assunto, a opinião da professora é de que a proposta de Rosso foi “da boca para fora”.

Clarisse afirma que a proposta é uma “performance”, por dois motivos. “Primeiro: Maia costura o apoio dele nos bastidores, assim como seus adversários, mas ele é que está tendo êxito. O chamado para o debate público é apenas para tentar puxar para fora dos bastidores o adversário mais forte. Segundo: A Câmara atualmente é um ambiente ainda mais conservador. E como a Câmara é conservadora eles ficam à vontade de chamar o debate, sem temor de serem questionados. Caso fosse um debate onde Rosso precisasse enfrentar uma oposição forte, será que ele chamaria o debate?”

Mas, na visão dela, Maia se engana se acha que vai ter vida fácil após uma virtual reeleição e eventual queda de Temer. “Quem está de olho no impeachment do Temer está de olho em colocar seu sucessor. Convém àqueles que ainda querem destruir o PT expor o envolvimento de Maia e de outros ex-aliados do partido, especialmente no Rio. Maia é um potencial instrumento para a derrubada de Temer, mas já esteve alinhado com o PT.” Para ela, o atual presidente da Casa também pode não ter muitas vantagens nesse processo, dada a própria exposição dele na Lava Jato.

A professora ressalta que não acredita em grandes mudanças ou maiores dificuldades para o governo em votações ou aprovações de projetos após a provável vitória de Rodrigo Maia, mesmo com as negociações e promessas que vêm sendo feitas pelo governo para reeleger o pré-candidato do DEM, que poderiam acarretar no desgaste da relação entre Executivo e Legislativo após a reeleição de Maia, caso não sejam cumpridas.

“O governo não tem e não teria a menor dificuldade de aprovar seus projetos, pois são projetos que favorecem o empresariado, o agronegócio. Os deputados querem mais que eles sejam mesmo aprovados”, conclui.

Fonte: Jornal do Brasil

1 Comentário

  • Infelizmente ‘isso’ mostra bem o arcabouço montado pelos ‘politiqueiros eternos e de plantão’ no ‘Reinó chamado Brasília’.
    A exemplo da “UDN” de 64 que articulou em conluio com a Cia., a grande Mídia (Globo e cia.), os Banqueiros e a elite Empresarial, a “revolução Armada” para não permitir a volta do grande JK à presidência em 65, e interrompeu e desarticulou a ‘Democracia’ no País por 20 ANOS, o “PSDB” de agora protagonizou a derrubada da Dilma, o desmantelamento do PT e trabalha no desmonte do PMDB, com a conivência do movimento chamado “Lava Jato” – (NÃO VEM AO CASO) – para voltar ao PODER por linhas ‘TORTAS’, bem ao estilo dessa ‘Direita Elitista’ que quer e defende somente seus interesses, estando nem aí para o sofrido povo brasileiro e para a Nação!… ACORDA BRASIL !!!

Escreva um comentário