9 frases memoráveis de Zygmunt Bauman

9 frases memoráveis de Zygmunt Bauman

9 frases memoráveis de Zygmunt Bauman – Foto: Reprodução

O filósofo e sociólogo polonês Zygmunt Bauman morreu aos 91 anos, em Leeds, na Inglaterra, como informou a mídia polonesa nesta segunda-feira (9).

A principal teoria de Bauman, a “liquidez” das relações sociais na modernidade e pós-modernidade, abriu um vasto campo de estudos para as mais diferentes áreas, como a filosofia, a cultura, o relacionamento humano – com muito foco no individualismo e a efemeridade das relações – e até mesmo a revolução que as mídias digitais trouxeram para a sociedade moderna.

Atento a estes sinais, Bauman marcou com algumas frases memoráveis:

  1. “As redes sociais são uma armadilha”.
  2. “O velho limite sagrado entre o horário de trabalho e o tempo pessoal desapareceu. Estamos permanentemente disponíveis, sempre no posto de trabalho”.
  3. “Tudo é mais fácil na vida virtual, mas perdemos a arte das relações sociais e da amizade”.
  4. “Esquecemos o amor, a amizade, os sentimentos, o trabalho bem feito. O que se consome, o que se compra, são apenas sedativos morais que tranquilizam seus escrúpulos éticos”.
  5. “O movimento [espanhol] de 15 de março é emocional, carece de pensamento”.
  6. “Os grupos de amigos ou as comunidades de bairro não te aceitam sem dar razão, mas ser membro de um grupo no Facebook é facílimo. Você pode ter mais de 500 contatos sem sair de casa, você aperta um botão e pronto”.
  7. “Foi uma catástrofe arrastar a classe média à precariedade. O conflito não é mais entre classes, é de cada um com a sociedade”.
  8. “As desigualdades sempre existiram, mas de vários séculos para cá se acreditou que a educação podia restabelecer a igualdade de oportunidades. Agora, 51% dos jovens diplomados estão desempregados e aqueles que têm trabalho têm empregos muito abaixo das suas qualificações. As grandes mudanças na história nunca vieram dos pobres, mas da frustração das pessoas com grandes expectativas que nunca se cumpriram”.
  9. “A possibilidade de que o Reino Unido funcione sem a Europa é mínima”, disse em 2011.

Com informações de Ansa Brasil e El País.

Escreva um comentário