Nogueira: Temer tem medo de ser vaiado num velório

Nogueira: Temer tem medo de ser vaiado num velório

Nogueira: Temer tem medo de ser vaiado num velório – Foto: Reprodução/ Globo

Michel Temer achou por bem não ir ao velório do cardeal arcebispo emérito de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns, por ser um ambiente de ‘esquerda’.

De Paulo Nogueira, no Diário do Centro do Mundo:


“Um Presidente da República que tem medo de ser vaiado em velório está morto!” Por Paulo Nogueira

“Um Presidente da República que tem medo de ser vaiado em velório está morto!”

Eis uma tirada que é candidata a Frase do Ano de 2016. Ela estava hoje nas redes sociais, intensamente compartilhada.

A autora é Ivana Bentes, acadêmica e ensaísta, e a sentença nasceu da notícia de que Temer estava com medo de ir ao velório de Dom Paulo para evitar vaias.

Leia também:

Bem, em pouco tempo Temer provou ser uma das maiores covardias que a República já produziu, e nem dos momentos que demandam mais bravura,

É inepto, é sem carisma, é inconfiável, é despido de ética. É tudo isso, mas é principalmente medroso.

E um presidente sem coragem é um não presidente.

Penso nesse atributo essencial de Temer e me ocorre, sempre, um ensaio de Montaigne exatamente sobre o medo. As palavras de Montaigne sobre o medo são um patrimônio da humanidade.

Diz Montaigne: “O medo é a coisa de que mais medo tenho no mundo. Ele ultrapassa, pelos incidentes agudos que provoca, qualquer outra espécie de acidente.  Como escreveu Ênio, o pavor acaba com qualquer resquício de sabedoria num homem.”

Observe Temer e veja quanto Montaigne estava certo.

Medo de um velório?

Que mais falta a Temer? Ter medo de barata? De fantasma? Do escuro? (De pedir dinheiro, sabemos que não. Mas isso não é propriamente um ato de coragem.)

Esperar que ele tenha coragem de fazer o que deveria fazer agora — renunciar — é inútil.

Só empurrado pelas ruas ele vai deixar o poder.

Ruas já.

Longe do Planalto, Temer estará condenado a se esgueirar eternamente pelos subterrâneos — pelo medo de ser vaiado.

“Meu maior medo é ter medo”. Montaigne não poderia estar mais certo, e cada um de nós deveria ter esta frase impressa na mente — ou correremos o risco de agir como Temer.

Ia terminar este artigo com Montaigne, mas dadas as circunstâncias me sinto obrigado a repetir Ivana: “Um Presidente da República que tem medo de ser vaiado em velório está morto!”

Escreva um comentário