Palavras & Opiniões

Lei Jucá: Temer recebeu R$ 10 mi e permanece no cargo

Lei Jucá: Temer recebeu R$ 10 mi e permanece no cargo

Lei Jucá: Temer recebeu R$ 10 mi e permanece no cargo – Foto: Aroeira

O jornalista Mário Magalhães alerta para a prevalência da Lei Jucá: Temer recebeu R$ 10 milhões e continua no cargo. Se fosse a Dilma…

Do Blog do Mario Magalhães:


Temer, R$ 10 milhões: se fosse Dilma, cairia; até aqui, prevalece Lei Jucá

Primeiro, um antigo executivo da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, contou que Michel Temer agenciou o pagamento de R$ 10 milhões para o PMDB.

Agora, é um dos donos da empreiteira, Marcelo Odebrecht, quem confirma o acerto, que teria sido sacramentado em 2014 no Palácio do Jaburu.

Temer já havia aparecido nas histórias de trambiques de outra construtora, a OAS. De acordo com Rodrigo Janot, procurador-geral da República, o à época deputado ”Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro [proprietário da OAS] por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a turma”.

Tem mais. Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, disse que Temer retomou o comando do PMDB em 2014 para administrar a partilha de R$ 40 milhões encaminhados por fora pelo PT (depois o PT alega não saber os motivos de sua vergonha e de sua ruína).

Machado revelou que Temer negociou com ele em 2012 o repasse de R$ 1,5 milhão, oriundo de propina, para a campanha do então peemedebista Gabriel Chalita.

Parece notícia de outro século: Dilma Rousseff foi deposta em maio de 2016 por ter cometido ditas ”pedaladas fiscais”. Ninguém a acusou de ter embolsado um só centavo de origem ilícita.

Com metade das denúncias que recaem sobre Temer, Dilma teria caído muito antes.

Até agora prevalece a Lei Jucá.

O hoje líder do governo no Congresso sentenciou, em conversa gravada por Sérgio Machado: ”Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria”.

A sangria, todo mundo entendeu, era a investigação da Lava Jato.

Machado: ”É um acordo, botar o Michel [Temer], num grande acordo nacional”.

Jucá: ”Com Supremo, com tudo”.

A síntese da sangria estancada é Michel Temer.

Enquanto o missivista ocupar a Presidência, para a qual não recebeu o voto popular, a Lei Jucá permanecerá em vigor.


1 Comentário

  • É esse “acordo nacional” que mantém Temer no cargo! Não se tem a quem recorrer, pois, quem poderia restaurar a moralidade, faz parte do acordo! Está tudo dominado!

Leave a Comment