O Brasil precisa ouvir Ana Júlia

O Brasil precisa ouvir Ana Júlia

O Brasil precisa ouvir Ana Júlia – Foto: Pedro de Oliveira/Alep

Rechaçando a ideia de doutrinação, a jovem Ana Júlia emocionou o Brasil ao se pronunciar na Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) em favor das ocupações em escolas.

A jovem Ana Júlia, estudante secundarista, foi à Alep defender as ocupações nas escolas públicas.

“De quem é a escola?” Esta primeira questão nos remete a uma reflexão mais profunda de como as ocupações são necessárias para a formação política destes jovens.

Ela criticou a escola sem partido, a PEC 241 e não perdeu a oportunidade de falar sobre o MBL.

Por muito pouco ela não teve o seu direito de fala cerceado. Porque os políticos sempre estão interessados em fazer o que querem com a população e jamais estão prontos para ouvir as reivindicações da sociedade.

Representante do Movimento Ocupa Paraná, Ana Júlia emocionou o Brasil. Emocionou todos aqueles que, sem hipocrisia, lutam por uma escola formadora de mentes livres, não uma escola incapaz de despertar no sujeito a atração pelo pensamento libertário.

Esta juventude é um orgulho para o país, diferentemente do que pensam alguns deputados reacionários. Ontem, por exemplo, o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), subiu ao púlpito da Câmara para dizer que os jovens estavam sendo teleguiados pelo PC do B e UNE. E pediu que os deputados assinassem o requerimento de instalação da CPI da UNE.

Para quê? Para demonizar a luta de estudantes que se colocam contra este governo usurpador e sem prestígio. O caminho para os governistas é coagir, descaracterizar e demonizar o movimento.

Independente disso, o movimento deve continuar!

5 Comentários

  • Primeiramente, VIVA ANA JÚLIA, ela não tem perfil, para ser deputada, pois tem CARATER, já o deputado, alberto fraga, não tem perfil para ser ESTUDANTE, pois não tem cérebro, DA-LHE ANA JÚLIA, os brasileiros que querem ver um BRASIL MELHOR, estão com você. PARABENS ANA JÚLIA.

  • “A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes”, (Adam Smith)
    “Nunca se afaste de seus sonhos, pois se eles se forem, você continuará vivendo, mas terá deixado de existir.” (Charles Chaplin).
    7. “Nenhum poder na Terra é capaz de deter um povo oprimido, determinado a conquistar sua liberdade”. (Nelson Mandela)
    9. “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo”. (Nelson Mandela).
    10 – ”Eu lutei contra a dominação dos brancos e lutei contra a dominação dos negros. Eu cultivei a esperança do ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas vivem juntas e em harmonia e têm oportunidades iguais. É um ideal pelo qual eu espero viver e alcançar. Mas, se preciso for, é um ideal pelo qual estou disposto a morrer”. (Nelson Mandela).
    …///…
    Pois é minha filha – (permita-me chamá-la assim) – Ana Júlia, obrigado por sua coragem, sua inteligência e sua clareza em expor aos ‘caros’ deputados Paranaenses – (os Príncipes… do Adan Smith – acima) – o porque das ‘ocupações das escolas’ pelo ‘grupo de corajosos estudantes’ no qual você se destacou.
    Há 40 anos venho gritando contra o ‘pior e maior crime cometido contra o povo brasileiro’ nos últimos 50 anos, sem ressonância nos meios políticos ou autoridades competentes, e, gostei de vê-la gritar também ‘alto e bom som’ de que ‘eles’ – (os deputados e demais políticos do País) – estão sim com as mãos sujas do sangue do colega de vocês que foi mais uma vítima dos descaso e descalabros da nossa ‘política e seus representantes’ de um modo geral, pois, não vejo nada ser feito no sentido de ‘amenizar em parte os danos causados pelo pior crime dos últimos 50 anos a que me refiro sempre’, do mais recente, consequência das “insegurança / violência” generalizadas – (seu colega) – e do de agora que é o ‘desmantelamento total’ do que resta da Educação Pública do Brasil. A única maneira que o Governo teria para ‘amenizar os danos causados pelo maior crime dos últimos 50 anos’, reverter essa situação caótica atual e colocar o “Brasil nos trilhos” – (como tem bravateado o Presidente Golpista) – seria aplicar por Lei, no mínimo 10% do PIB NA MELHORIA DA EDUCAÇÃO DE UM MODO GERAL, mas, principalmente na ‘revalorização’ do(a) Professor(a) em todos os sentidos – (salarial – pessoal – espiritual – profissional) – para que os mesmos voltassem a ser ‘admirados / respeitados / amados’ pelos alunos e pela sociedade.
    Mas, como esse é um projeto com resultados de ‘longo prazo’ (20 / 30 anos) qual o ‘político atual’ estaria disposto a batalhar pelo mesmo ???…
    Por isto, a necessidade dos ‘movimentos dos alunos’ (com discussão, ocupações, passeatas, etc.), se, possível, com a participação do ‘povo na rua’, a exigir nova postura e comprometimento dos ‘políticos e autoridades’ ligadas ao assunto’.
    Parabéns a Você, cara Ana Júlia e aos seus colegas… continuem firme e determinados. Que Deus os abençoe e ilumine para que possam conseguir seu objetivo.
    Grande abraço de admiração, respeito e carinho.
    Roberto Brandão.

  • Concordo com a coragem dela e pelos jovens estarem lutando por seus direitos, só não podemos esquecer que o direito de um acaba onde começa o do outro. Eles falam em diálogo, mas não estão aberto para o mesmo se este não for exatamente o que eles querem.
    Em relação as mão sujas de sangue ela tem razão até certo ponto e não é só a do Lucas, mas de muitos brasileiro que morrem todos os dias por conta do descaso em que se encontra o país. Mas voltando ao Lucas, as mãos de cada um que esta na mesma escola onde ele morreu, devido a falta de organização que estás manifestações apresenta. Ele foi em um ambiente onde só haviam estudantes e este fato é um indicador da falta de organização e foco destas manifestações que na minha opinião em sua maioria tem cunho político e atrapalha ainda mais a vida das pessoas que buscam uma melhor condição de vida através dos estudos, que estão suspensos por conta destas manifestações.
    Querem meu apoio e credibilidade, esfaziem as escolas que terá o Enem, depois voltem a ocupadas. Mostrem que estão abertos ao diálogo e preocupados com o próximo.

  • Enquanto isso… No Sul…

    A esquerda em Curitiba (no Sul) ficou é discutindo CHEIRO CORPORAL sem banho. Tentando DERRUBAR o GRECA!
    Mas Greca ganhou, mesmo assim…

    GRECA e o FEDOR
    [A Política & a Manipulação pela Linguagem,
    em Curitiba]:

    O Cheiro Corporal:

    É bom ver um político chamado Greca.
    Greca, do Partido PMN, é um antissentimentalista. Não é hipócrita sobre FEDOR. Não fica se fazendo de vítima, não é B****-MOLE.

    GRECA DISSE QUE QUASE VOMITOU QUANDO COLOCOU UM MENDIGO em seu carro. Um morador de rua… ¿E daí? Morador de rua ou mendigo não FEDE NÃO???

    ESSA fala de GRECA, sobre FEDOR, é a medida exata de um cara que não é HIPÓCRITA. Com seu ouvido para o diálogo, seu antissentimentalismo e seu humor sardônico, transformou profundamente a paisagem política de Curitiba.

    Obs.:
    Qualquer ANIMAL fica dias sem tomar banho e não fede; agora o SER-HUMANO já 1 dia sem tomar banho já fede muito, é um fedor danado.

Escreva um comentário