Direitista dá as costas a novo prefeito de Londres

Direitista dá as costas a novo prefeito de Londres

Direitista dá as costas a novo prefeito de Londres – Foto: NBC News

A direita protofascista é como uma onda de intolerância sobre este pobre mundo. O mais recente exemplo foi o repúdio de um direitista inglês contra a eleição de Sadiq Khan, novo prefeito de Londres.

Saiu na Reuters:

No discurso de vitória do trabalhista Sadiq Khan para a eleição municipal de Londres, na qual o primeiro prefeito muçulmano da capital britânica, um candidato de extrema-direita virou as costas para ele durante o discurso, em sinal de repúdio ao político. Com 44% dos votos, Khan derrotou o conservador Zac Goldsmith, filho de um bilionário, que ficou com 35%.

— Londres escolheu a esperança sobre o medo, e a união sobre a divisão — declarou ele, pouco após sua vitória ser oficializada, no início da madrugada de sábado.

Enquanto Khan falava, acompanhado dos candidatos derrotados na disputa, Paul Golding, do partido Britain First, virou as costas. Autodeclarado de inspiração neofascista, o candidato de extrema-direita, que não chegou a 1% dos votos, havia dito ao se candidatar que era contra os muçulmanos na política. Ligado a movimentos ilegais de cunho nazista, o partido já foi acusado de abrigar atacantes a mesquitas e criminosos de ódio em sua curta história de cinco anos.

A vitória de Sadiq Khan, de 45 anos, confirmou as pesquisas de opinião, que apontavam uma vantagem de 12% sobre Goldsmith. No total, 5,6 milhões de londrinos foram convocados a votar. Goldsmith e o primeiro-ministro David Cameron insistiram em apresentar Khan como alguém com vínculos com extremistas muçulmanos, uma estratégia que pode se voltar contra os conservadores.

— Khan é claramente um muçulmano moderno e progressista. Se os seus oponentes se aventurarem muito neste terreno, correm o risco de enfrentar uma reação enérgica — disse Tony Travers, professor da London School of Economics.

Em entrevista à AFP, Khan denunciou a campanha “divisiva e desesperada” dos conservadores.

— Sou londrino, sou britânico, sou de fé islâmica e tenho orgulho de ser muçulmano. Sou de origem asiática, paquistanesa. Sou um pai, sou um marido, sou sofrido torcedor do Liverpool há muito tempo. Sou todas estas coisas — disse. — Mas o melhor desta cidade é que você pode ser um londrino de qualquer confissão ou de nenhuma, e aqui fazemos algo mais que tolerar: nos respeitamos, recebemos com os braços abertos.

Deixe um Comentário!